Olá

Bem vindo ao Coisas da Alma!

Despretensiosamente levando um pouco de espiritualidade ao mundo!

Conheça o http://aalmadascoisas-annapon.blogspot.com/, blog parceiro do Coisas da Alma.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Marcos, Apóstolo do Cristo!



Marcos, Apóstolo do Cristo!

Ismael de Almeida
Muito da vida dos Apóstolos de Jesus se perdeu na areia movediça do tempo, que os ventos arrastam e levam como folhas secas das árvores caídas no chão. Mas os Anjos de Deus registraram os acontecimentos que marcaram a vida daquelas almas que compartilharam a vida do Mestre, no serviço a humanidade!
E a luz, mago dos céus, descerra a vida do Apóstolo Marcos, que tanto amou Jesus e era casada com Ana, filha do viúvo José, pai de Jesus!
E marcos amava desmedidamente a Ana sua esposa que de saúde débil, havia dado a ele dois filhinhos lindos como dois Querubins de leite e mel, como diria Salomão.
E os escritos de Marcos eram uma cisterna de lágrimas, que corriam de sua alma dolorida e triste.  Ana amava o pequeno Jose, seu irmão, filho do viúvo Jose, anjo desterrado que veio ao mundo só para proteger Jesus, e voltou à Pátria Celestial apenas com 26 anos de idade.
Morto o irmão, e Jesus crucificado, a alma terna de Ana derramou seu amor como oceano de luz no coração entristecido e desolado de Marcos.
Ana era a alma gêmea de Marcos e encarnou com a finalidade de apoiar espiritualmente Marcos, como cronista daquela excelsa vida de Amor inesgotável!
E Ana estava enferma, e no seu leito de dor, trazia a chama da recordação para explicar a Marcos os mínimos detalhes da gloriosa infância de Jesus.
E marcos, alma sensível, sonhadora e nobre, trazia em versos de ouro e claridades de rubis, a doçura infinita do coração de Jesus.
E Ana sentia sua vida se extinguir como a chama de uma vela que morre!
Marcos sentia no coração a perda da inolvidável esposa anjo celeste, baixado a Terra em missão de Amor!
E Ana de olhar entristecido e terno deu, com a luz dos olhos, o último adeus a Marcos, o sonhador discípulo de Jesus!
Fazia 10 anos que Jesus partira para sua Pátria Celeste!
E a alma nobre do Apóstolo, sentiu fundo no peito a solidão da perda da esposa amada e, desdobrou em versos cândidos a Vida de Jesus!
A dor de Marcos era profunda, porém serena como um por de sol! 
A dor fecundou em luz a alma doce de Marcos, e versos divinos, como violinos celestes, trouxeram em prosa e versos as melodias do Céu! 
A vida de Marcos foi um perene canto de Amor, seu corpo estava na Terra, mas sua alma habitava o céu!
Bibliografia: Harpas Eternas.
Oferecido com amor e respeito a doce irmã ROSANE AMANTÉA.



Marcos, Apóstolo do Cristo!
Ismael de Almeida

Muito da vida dos Apóstolos de Jesus se perdeu na areia movediça do tempo, que os ventos arrastam e levam como folhas secas das árvores caídas no chão. Mas os Anjos de Deus registraram os acontecimentos que marcaram a vida daquelas almas que compartilharam a vida do Mestre, no serviço a humanidade!
E a luz, mago dos céus, descerra a vida do Apóstolo Marcos, que tanto amou Jesus e era casada com Ana, filha do viúvo José, pai de Jesus!
E marcos amava desmedidamente a Ana sua esposa que de saúde débil, havia dado a ele dois filhinhos lindos como dois Querubins de leite e mel, como diria Salomão.
E os escritos de Marcos eram uma cisterna de lágrimas, que corriam de sua alma dolorida e triste. Ana amava o pequeno Jose, seu irmão, filho do viúvo Jose, anjo desterrado que veio ao mundo só para proteger Jesus, e voltou à Pátria Celestial apenas com 26 anos de idade.
Morto o irmão, e Jesus crucificado, a alma terna de Ana derramou seu amor como oceano de luz no coração entristecido e desolado de Marcos.
Ana era a alma gêmea de Marcos e encarnou com a finalidade de apoiar espiritualmente Marcos, como cronista daquela excelsa vida de Amor inesgotável!
E Ana estava enferma, e no seu leito de dor, trazia a chama da recordação para explicar a Marcos os mínimos detalhes da gloriosa infância de Jesus.
E marcos, alma sensível, sonhadora e nobre, trazia em versos de ouro e claridades de rubis, a doçura infinita do coração de Jesus.
E Ana sentia sua vida se extinguir como a chama de uma vela que morre!
Marcos sentia no coração a perda da inolvidável esposa anjo celeste, baixado a Terra em missão de Amor!
E Ana de olhar entristecido e terno deu, com a luz dos olhos, o último adeus a Marcos, o sonhador discípulo de Jesus!
Fazia 10 anos que Jesus partira para sua Pátria Celeste!
E a alma nobre do Apóstolo, sentiu fundo no peito a solidão da perda da esposa amada e, desdobrou em versos cândidos a Vida de Jesus!
A dor de Marcos era profunda, porém serena como um por de sol!
A dor fecundou em luz a alma doce de Marcos, e versos divinos, como violinos celestes, trouxeram em prosa e versos as melodias do Céu!
A vida de Marcos foi um perene canto de Amor, seu corpo estava na Terra, mas sua alma habitava o céu!
Bibliografia: Harpas Eternas.
Oferecido com amor e respeito a doce irmã ROSANE AMANTÉA.


postado no facebook por Ismael de Almeida - grupo Umbanda de Hoje -

domingo, 16 de dezembro de 2012

Novos Tempos

Escrito por Victor Rebelo   
Vivemos uma fase de grandes transformações sociais e planetárias. Claro que tanto a humanidade quanto o planeta sempre estão em constante mudança.
São avanços sociais que, apesar de gradativos, mudam nossos valores e crenças, e estes, por sua vez, acabam influenciando nossas leis e relações humanas; descobertas científicas que nos permitem compreender de forma mais clara e ampla a natureza e o mundo em que vivemos; além disso, temos a arte e a cultura de cada povo, cada vez mais dinâmicas e abertas a novas influências. Isso tudo é um processo gradual, lento, mas que em determinadas fases se amplia e acelera. É o que atualmente está ocorrendo.
Os avanços tecnológicos que aprimoraram os veículos de comunicação em massa, como a televisão e o cinema, provocaram um entrelaçamento cultural nunca antes atingido. Hoje, com a internet, a força com que influenciamos uns aos outros é ainda maior, e com o grande diferencial: desta vez não dependemos de uma elite dominante para ditar o que deve ou não ser massificado em nossa cultura. Todos têm condições de se expor e interagir com o meio de forma mais autônoma.
Mas, apesar de todas as mudanças pelas quais estamos passando, ainda não conseguimos solucionar velhos problemas sociais e, obviamente, outros desafios em nível global têm surgido, exigindo-nos um novo modo de viver e entender a vida.
Pobreza, violência e números alarmantes de pessoas doentes; colapso financeiro de grandes potências econômicas, altas taxas de desemprego... tudo isso são velhos problemas que a humanidade enfrenta, mas, que ainda persistem. Sem contar o que estamos fazendo com o planeta, desmatando e poluindo de forma descontrolada e inaceitável, causando mudanças climáticas e ambientais que nem sempre serão previsíveis. Com certeza, os resultados serão catastróficos.
Será o nosso fim? Não acredito. Ao contrário, penso que precisamos pôr um fim em certos paradigmas, em certos modelos e crenças que seguimos, para que realmente uma nova era surja.
De que adianta a internet, se grande parte das pessoas que navegam na rede mundial de computadores só espalha a própria miséria consciencial em que vive? Em vez de aprenderem novos valores, de usarem essa ferramenta de forma produtiva, muitos preferem ficar no comodismo da própria ignorância.
Portanto, os avanços materiais têm ocorrido em grande escala, mas, para que avancemos realmente como humanidade, precisamos amadurecer espiritualmente, aprendendo a lidar com nossas emoções de forma madura e consciente. Precisamos nos relacionar de forma responsável, enxergando no outro não alguém que possa nos servir, mas um ser humano que é a nossa extensão; somos interdependentes.
Sem o verdadeiro espírito fraterno e de união não seremos uma humanidade “interconectada”. Podemos nos conectar por meio da tecnologia, mas a verdadeira união deve partir de princípios e valores que aproximem as pessoas por meio do sentimento, respeitando as diferenças.
Para vivermos os “novos tempos”, é preciso que cada um faça a sua parte, buscando, a partir de um processo de autoconhecimento e mudança interior, sanar suas próprias feridas internas, para vivermos com mais harmonia entre nós e em relação ao planeta.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Orixá Regente do ano de 2013- Norberto Peixoto -



Em 2013 teremos um planeta regente bem curioso, pouco conhecido porém muito estudado. O Planeta Regente de 2013 será Saturno, como consequência o Orixá que rege 2013 é o Orixá Obaluayê. O Planeta Saturno é um dos corpos celestes mais incompreendidos na Astrologia, pois representa tudo aquilo que diz respeito à nossa responsabilidade e às nossas obrigações, conosco mesmos e com a sociedade em que vivemos. Saturno é temido como se fosse um deus implacável e insensível, podando nossas expectativas e nossas esperanças. É preciso que olhemos para ele como um mestre mais idoso e mais severo, mas também com um componente de sabedoria e ponderação que nenhum outro planeta do panteão astrológico possui. Assim é com Obaluayê o orixá da Transformação, o grande alquimista necessário á evolução, regente da Linha dos Pretos-velhos e das Santas Almas. Embora, como nos ensinam os Mentores Espirituais, todas as Sete Sagradas Vibrações ajam e sejam necessárias a cada ciclo, ou ano como chamamos, sempre uma Vibração principal e duas auxiliares se sobrepõem á luz da ação magnética dos astros e das necessidades de oportunização evolutiva. Obaluayê, como regente do Ano, pede atenção redobrada no nosso processo evolutivo e transformador, pois o magnetismo deste ciclo anual favorece o amadurecimento seja pela compreensão racional e vivencial, seja pela dor e separações. Muito cuidado se deve ter com as propostas ilusórias das emoções em desequilíbrio e dos bens materiais. Em seu polo positivo, a vibratória de Obaluayê é consolidador dos projetos e representa o nosso lado mais realizador e empenhado em construir algo de sólido em nossa vida. Ele tem um papel importante também em tudo o que diz respeito à nossa vida profissional, à nossa carreira e ao espaço que ocupamos na sociedade com nossas atividades e nosso trabalho. É o tempo ("cronos", o nome grego de Saturno). É fator fundamental na maturação de tudo o que esperamos na vida, portanto a paciência e a perseverança também são elementos indispensáveis para podermos extrair o melhor que Obaluayê pode nos oferecer. Obaluayê por ser o senhor da transformação mostrará que tudo, na Terra, precisa se transformar, e como consequência nós seres humanos estaremos mais suscetíveis a essas transformações, interiormente pelas nossas emoções em crise, em busca de maturidade e equilíbrio, como externamente, principalmente climáticas e telúricas, na área geológica com terremotos, erupções vulcânicas, tsunamis e temporais. Prevê-se um índice alto de erupções vulcânicas para o segundo bimestre do Ano de 2013. Apesar de Obaluayê ser o orixá do Carma e do Desencarne, 2013 será um ano mais passível pois é regido pela Razão enquanto 2012 foi regido por Iemanjá e sua grande Emoção. Como Vibratórias auxiliares no desenrolar do progresso do ano de 2013, temos Oxossi, como a força do conhecimento e, portanto, trazendo esclarecimentos e descobertas, nos convidando ao uso da razão na onda vibratória transformadora de Obaluayê; e Ogum, colocando sua espada, espada da Lei, a serviço do poder transformador de Obaluayê. Recebamos o ano de 2013 como mais uma oportunidade, mais um ciclo que se abre sob as bênçãos de Jesus, para que conquistemos o nosso ser interior e estabeleçamos o Reino de Deus em nossas vidas. Obaluayê é um convite á maturidade e decisão firme e coerente pelo essencial, Deus e as propostas espirituais de crescimento e evolução, cuja consequência será sempre a Paz e a Alegria - "Eu vos dou a paz, eu vos dou a minha paz, não como o mundo a dá, pois a paz que eu vos dou permanece para sempre." (Jesus no Evangelho).

A pedra vibratória de Obaluayê é a Turmalina Negra.
A essência Vibratória é o eucalipto ou a Erva Cidreira.
A cor desta Vibratória é o preto e branco ou Roxo.
A saudação é "Atotô" = Silêncio (sinal de respeito à Vibratória Transformadora)

Que Jesus nos abençoe sempre!

Pai Valdo
Templo Espiritualista Cruzeiro da Luz

domingo, 25 de novembro de 2012

O que é normal?




Descobertas recentes sobre a origem de algumas doenças, sobre as guerras, a violência e a destruição ecológica, nos levam a questionar certas normas ditadas pela sociedade, através dos consensos existentes.
Tem-se constatado que algumas normas sociais, passadas e atuais, levaram ou levam ao sofrimento moral ou físico dos indivíduos.
Há na maioria dos nossos contemporâneos uma crença bastante enraizada.
Segundo esta, tudo o que a maioria das pessoas pensa, sente, acredita ou faz, deve ser considerado como normal e, por conseguinte servir de guia para o comportamento de todo mundo e mesmo de roteiro para a educação.
O pesquisador e escritor Pierre Weil nos traz uma nova visão sobre esse tema.
Ele chama de normose ao conjunto de normas, valores, hábitos de pensar ou de agir aprovados pela maior parte de uma determinada população e que, em algum momento, levarão a sofrimentos.
Esses comportamentos são vivenciados sem que os seus autores tenham consciência dessa natureza prejudicial.
Um exemplo simples, entre vários que poderíamos abordar, é o do consumo de cigarros.
Até algum tempo, era considerado normal que as pessoas fumassem. Mas, à medida em que ficou comprovado que o ato de fumar causa sérios danos à saúde, esse hábito começou a ser questionado.
O resultado foi que essa normalidade caiu por terra.
Assim como essa conduta perdeu adeptos, outras formas de comportamento vistas como normais hoje, poderão deixar de ser logo mais.
Nem tudo o que a maioria das pessoas aprova, através dos hábitos de pensar ou de agir, é conveniente que adotemos para nós mesmos, para nossas famílias ou para a educação de nossos filhos.
Estejamos atentos para analisar hábitos novos que a sociedade nos impõe. Hábitos que, muitas vezes, vão se instalando lenta e gradativamente.
Passamos a substituir o cuidado com o corpo físico através do lazer e do esporte, pelas infindáveis horas à frente dos computadores, televisores e jogos digitais, acreditando que é normal porque a maioria age assim.
Aos poucos, passamos a considerar normal o hábito de ingerir bebida alcóolica, com frequência e em grandes quantidades, pautados na forma como um número considerável de pessoas decidiu agir.
Crianças e jovens desrespeitam pais, professores e colegas porque os outros também têm essa conduta.
Assim como esses, poderíamos citar muitos outros exemplos, mas cabe a cada um de nós identificar o que realmente tem valor em nossas vidas.
*   *   *
Jesus nos orientou a que vivêssemos no mundo sem sermos do mundo. É difícil não ceder aos apelos que sofremos constantemente. É difícil ser diferente, mas não impossível.
Basta que tenhamos a firmeza de agir de acordo com o que realmente acreditamos e enchermo-nos de coragem para dizer não, sem nos importarmos com críticas e julgamentos.
Sigamos em frente felizes, com a certeza de estarmos pautando nosso comportamento nos valores que carregamos em nosso íntimo.

Redação do Momento Espírita, com base em texto
do livro 
Normose, a patologia da normalidade, de Pierre Weil, Roberto Crema
e Yves Jean, ed. Versus.

Em  23.11.2012.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Ética nos terreiros

Olá pessoal!
Li o texto abaixo há algum tempo, é ótimo! muito realista, sem meias palavras! gostei muito!
Parabéns pela postagem amiga dos ventos!
Annapon



Ética nos terreiros, deveria ser matéria obrigatória? Ou é pertinente a criação do ser humano!


Afinal, o que é ética?

Segundo o Dicionário Aurélio Buarque de Holanda, Ética é "o estudo dos juízo de apreciação que se referem á conduta humana suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, inerente ao ser humano!

Portanto, ética nas minhas palavras são princípios e regras morais.

A pergunta que não quer calar, Ética deveria ser ensino obrigatório nos terreiros ou faz parte da base educacional familiar?

Lembrando, que vivemos em sociedade e o que você faz ou deixa de fazer pode de alguma forma afetar o outro, como por exemplo: Você está incorporado tem consciência e uma pessoa aparece na sua frente armada, dizendo que vai matar a esposa em decorrência de uma possível traição, o que fazer?

Logicamente, que a entidade vai conduzir a conversa até uma solução pacífica, então, o consulente resolve deixar a arma com a entidade, o que fazer?

Entregar a arma ao consulente, afinal cada um é responsável por suas escolhas?

Denuncia-lo a policia, afinal, ele deixou a arma...mas quem quer matar se utiliza de outros apetrechos.

Quem nunca pensou em jogar a machadinha de Xangô na cabeça do chefe ou do marido...malei-me meu pai, confesso que já tive esse desejo...mas, passou...kkk.

São questões a se pensar, bem como, os atendimentos com os irmãos de terreiro! Deveria ser imposto um juramento para os atendimento ou isto, fica só subentendido?

Alguns dirigente, contam com a ética religiosa de cada um. Como se cada médium fosse um confessionário. Vale lembrar, que cada um conduz seu entendimento de ética como acha correto.

Vou colocar um exemplo para facilitar: Existem centros que são de família ou trabalham famílias e por acaso do destino um tio que está com uma doença muito grave e não contou para os demais familiares passa com sua entidade, o médium por tem a consciência, saberá do problema o que fazer é o primeiro conflito moral do médium?

Faz diferença um médium de 16 ou um de 50 anos filtrar a informação e se ele resolver contar para seu núcleo familiar, como fica a estrutura da família e a credibilidade em seu silêncio como religioso.

Talvez, por isso, antigamente o médium ser ou "se dizer" inconsciente era conveniente a todos.

Qual a idade correta para começar o atendimento, não digo isso por causa do guia, que é um espírito evoluído! Mas sim, pela pouca vivência ou imaturidade do médium...se é que isso é um pré-requisito?

O que coloco em questão é a ética dos atendimentos e as pessoas que depois, comentam sobre o que o consulente falou, será que o médium é tão superior assim, que se dá ao direito de julgar seu irmão?

Não, falo só de uma situação ou de um terreiro...já vi e ouvi isso acontecer por diversas vezes.

Inclusive um irmão que disse não vai mais atender minha mãe, porque ela questionou os ensinamentos da entidade dele.

Não me cabe levar isso ao dirigente, cabe apenas análise do perfil do médium...é um ponto a se refletir!

Já ouvi em uma reunião que certa pessoa não por vontade atenderia algumas, prontamente o dirigente disse que isso é uma lição para ela e para as outras que criticaram o atendimento desta!

Como se não bastasse, tem os recados que são mandados através da "entidades"!

Incrível como essas ficam dando recados, é excesso de soberbia ou falta de caráter ou coragem, estou suavizando? Também, vou me manter nos bastidores, porque há coisas que dificilmente mudam e eu não estou para transgredir nada, apenas aprendo e jogo no blog!

Postei esse mesmo texto no Blog da Rede Brasileira de Umbanda e encontrei estórias bem parecidas, o que está acontecendo?

E se eu fosse dirigente, como deveria agir ou evitar evitando que isso ocorresse no terreiro?



E quem quiser que conte outra!

do blog http://amigadosventosnosatabaquesdavida.blogspot.com.br/2009/11/afinal-o-que-e-etica-segundo-o.html

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A minha Empresa é Espiritual?







A minha Empresa é Espiritual?

Logo no inicio da palestra fui surpreendido com esta pergunta vinda por parte de um participante presente na plateia. César a minha Empresa é Espiritual?
Retornei sua pergunta com uma das especialidades dos Coach, encontrar a solução a partir da resposta do cliente.

Você é uma pessoa espiritual? Olha sinceramente não acredito nestas baboseiras! Então você já tem a resposta para sua pergunta.
As respostas que buscamos sempre estiveram ao nosso alcance e no fundo já sabemos do seu resultado.

“Eu sou a resposta para tudo o que você busca.” Esta frase do Mestre vem concretizar que somos seres espirituais vindos de uma fonte infinita de espiritualidade e sabedoria.

Acreditem muitas empresas, não importa seus tamanhos estão se destruindo dia a dia e nem imaginam o que possa estar acontecendo, desarmonia entre os proprietários, colaboradores, clientes, fornecedores, sócios, movidos por uma única palavra: Visão materialista do TER e esquecendo o lado bonito, diria o lado divino da vida o do SER, ser mais espiritual, ser mais feliz, ser mais humano, ser mais preocupado com as pessoas, com a família, com o relacionamento, com a criação dos filhos, com o amor, isto sim é ser espiritualizado e isto reflete na vida nos negócios e nas atitudes tomadas diariamente.

Espiritualidade nas empresas não tem a ver com religião, igreja, dogmas ou ideologias. Trata apenas da elevação dos “valores organizacionais”. Nada mais do que isso. Vânia Faria - Consultora em desenvolvimento Humano e Organizacional.

Acreditem não temos mais como negar a espiritualidade está nos negócios em forma de capital intelectual, de gestão do conhecimento, de responsabilidade social, da ética e moral corporativa, da economia solidária, da ecologia, do desenvolvimento sustentável, da qualidade de vida, dos valores e princípios éticos. 

Com esta premissa de que somos pessoas espirituais com infinita sabedoria interior, devemos utilizar das técnicas e proporcionar um reposicionamento e uma nova maneira de enfrentarmos a nós mesmos e ao mundo em que vivemos através da luz interior. 

Somos seres guiados por uma LUZ e esta luz nos convida dia a dia a sermos seres melhores em todos os sentidos da vida. Acreditem ainda podemos curar nossas vidas, nossos negócios que estão padecendo dos males do século: a falta de visão espiritual!


César Lustosa
Escritor e Palestrante
www.cesarlustosa.com

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Magnetismo, eteriatria e cromoterapia.

Olá amigos!
Recomendo a todos que se interessam pelas "coisas da alma" e, do corpo, que assistam ao vídeo abaixo postado.
Com linguagem simples e clara, mais uma vez o pessoal do Triângulo da Fraternidade, vem falar sobre assuntos de extrema importância, principalmente aos médiuns, sejam eles de Umbanda ou de outra religião.
É um vídeo mais ou menos longo, porém, muito esclarecedor. Sempre vale a pena conhecer e rever conceitos! Aproveitem e sejam sempre muito bem vindos a este nosso espaço!
Annapon


domingo, 4 de novembro de 2012

Umbanda, essa desconhecida - Roger Feraudy -




Nossos sinceros agradecimentos a AYOM Records pela autorização para utilização dos pontos neste vídeo.

Texto extraído do Livro: Umbanda essa desconhecida de Roger Feraudy. Editora do Conhecimento, 4ª Edição, 2004. 1— A Umbanda crê em um Ser Supremo, o Deus único, criador de todas as religiões monoteístas. Os orixás são emanações da Divindade, como de todos os seres criados. 2— O propósito maior dos seres criados é a evolução, o progresso rumo à Luz Divina. Isso se efetiva pelas vidas sucessivas: a Lei da Reencarnação, o caminho do aperfeiçoamento. 3— Existe uma Lei de Justiça universal, que determina a cada um colher o fruto de suas ações, conhecida como Lei do Carma. 4— A Umbanda se rege pela Lei da Fraternidade Universal: todos os seres são irmãos por terem a mesma origem, e devemos fazer a cada um aquilo que gostaríamos que fosse feito a nós. 5— A Umbanda possui identidade própria e não se confunde com outras religiões ou cultos, embora a todos respeite fraternalmente, partilhando alguns princípios com muitos deles. 6— A Umbanda está a serviço da Lei Divina e só visa ao bem. Qualquer ação que não respeite o livre-arbítrio das criaturas, que implique em malefício ou prejuízo de alguém ou se utilize de magia negativa, não é umbanda. 7— A Umbanda não realiza em qualquer hipótese o sacrifício ritualístico de animais nem utiliza quaisquer elementos destes ritos em oferendas, ou trabalhos. 8— A Umbanda não preconiza a colocação de despachos ou oferendas em esquinas urbanas e sua reverência às forças da natureza implica preservação e respeito a todos os ambientes naturais da Terra. 9— Todo serviço da Umbanda é de caridade, jamais cobrando ou aceitando retribuição de qualquer espécie por atendimentos, consultas ou trabalhos. Quem cobra por serviço espiritual não é umbandista.


Um espírito amigo

terça-feira, 23 de outubro de 2012

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Condensadores energéticos, magia, feitiço

Olá pessoal!
Mais um bom trabalho do grupo do Triângulo da Fraternidade!
Bons ensinamentos a todos os médiuns ativos, seja na Umbanda ou em outro tipo de atividade como a Apometria, por exemplo.
Annapon


terça-feira, 2 de outubro de 2012

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Carlos Buby e o Caboclo Guaracy


Carlos Buby é Babalorixá, nascido em berço católico, no interior de Alagoas. Aos sete anos, migrou com sua família para São Paulo. Desde jovem, despertou para a música e em 1967 ganhou o primeiro e terceiro lugar do I Festival Colegial da Música Popular Brasileira, com duas músicas que foram em seguida censuradas pelo regime de exceção. O fato causou uma tremenda frustração que levou Carlos Buby a ingressar na Umbanda em busca de respostas existenciais e de espiritualidade. Finalmente, abdicou de sua carreira musical e de contratos promissores com grandes gravadoras, para dedicar sua vida a seguir os conselhos do seu guia, Caboclo Guaracy. Profundo pesquisador dos fenômenos naturais, Carlos Buby fundou o Templo Guaracy em 1973 e desde então dirige os 14 templos existentes no Brasil, na Europa (Portugal, França, Áustria, Suíça, Belgica) e na América do Norte (Califórnia, Nova Iorque, Washington e Canadá). Ao longo desses anos, ele desenvolveu um elaborado modelo cosmogónico baseado na tradição afro-brasileira, que traz luz na compreensão da dinámica da Vida na Terra. Recentemente consolidou os principios que deram origem a Filosofia Guaracyana, usando uma abordagem humanista, universal, apolítica e não-religiosa.

domingo, 9 de setembro de 2012

Um caso de assédio espiritual

Olá pessoal!
Muito interessante esse vídeo! As explicações de Moisés valem uma boa reflexão e análise do nosso comportamento. Nós mesmos podemos nos ajudar muito e, só assim, seremos capazes de ajudar os outros!
Um grande abraço a todos e sejam sempre muito bem vindos a este espaço!
Annapon

domingo, 2 de setembro de 2012

Mecanismos da magia

Olá pessoal!
Bons esclarecimentos sobre magia estão contidos nesse vídeo!
São "conselhos" que valem a pena a reflexão, além de bom roteiro de auxílio para que aprendamos a lidar com as questões práticas do nosso dia a dia.
Espero que seja muito útil,
Annapon


sábado, 25 de agosto de 2012

E a vida continua... ( o filme )

E a vida continua...
Em Agosto de 2012, o público verá nos cinemas brasileiros uma história fascinante.
E a vida continua...

Filme adaptado do livro “E A VIDA CONTINUA”,
de André Luiz, psicografado por Chico Xavier.

Direção e Roteiro: Paulo Figueiredo
Produção:  Versátil Digital Filmes e VerOuvir Produções
Produtores: Oceano Vieira de Melo, Sonia Marsaiolli de Melo
e Paulo Figueiredo
Produtores Associados: FEB / VerOuvir / Versátil Digital Filmes
Distribuição Paris Filmes

Coordenação de Produção: Ricardo Parah
Gerência de Produção: Giselle Figueiredo
Produção de Elenco:Rosana Penna
Direção de Arte/Figurino: Liana Obata
Direção de fotografia: Tony Ciambra
Câmera:  Bruno Martins e Edson Audi
Som direto:  Gustavo Goulart e Geraldo Ribeiro

Sinopse:

A transposição deste romance para a tela põe em destaque o que a obra original tem de mais expressivo em seu conteúdo. Converte a essência de cada trecho literário em cenas vivas, instigantes, de interesse humano inquestionável.
Levado por uma dessas tantas "coincidências" da vida, um homem de cinqüenta anos conhece, em circunstâncias dramáticas, uma jovem de vinte e cinco. Fugitivo de si mesmo, sobrevivente de uma tragédia pessoal que o tempo ensinou a esconder num bem-humorado sorriso, no mesmo instante se encanta por essa moça, que além da frustrada paixão pelo marido infiel nenhuma razão mais possui para  continuar vivendo.

Como náufragos à deriva, Ernesto e Evelina juntam forças e esperanças. Mas não só amores e desamores passados os tornam semelhantes. A questão da saúde comprometida pela mesma enfermidade grave, outra "coincidência", lança expectativas sombrias no futuro dos dois. Como investir numa tão promissora amizade que pode acabar sem glória e sem despedida no centro cirúrgico de um hospital? Instala-se a dúvida. E nos poucos dias que os separam de seus destinos curiosamente parecidos, o homem e a mulher que o "acaso" trouxe para um encontro preparam suas almas apostando na Vida mas com um olho na Morte.

No último minuto de proximidade na estância de repouso preparatório para as cirurgias, dizer o quê? Adeus? Até breve?

Na falta de resposta o silêncio foi melhor. Um sorriso e uma mão acenando disseram mais.

Como no Teatro, fechava-se a cortina ao final do Primeiro Ato. O Segundo seria num outro palco, numa nova dimensão, para uma outra platéia. Entenderiam os protagonistas, agora, que a Vida é uma peça de muitos Atos, porém sem fim.

E a Vida Continua...
Filme adaptado do livro “E A VIDA CONTINUA”,
de André Luiz, psicografado por Chico Xavier.

Atores principais do filme

AMANDA ACOSTA - Evelina Serpa
LUIZ BACCELLI - Ernesto Fantini
LIMA DUARTE - Instrutor Ribas
ANA ROSA – Lucinda 
LUIZ CARLOS DE MORAES - Instrutor Cláudio
RUI REZENDE – Desidério dos Santos 
LUIZ CARLOS FELIX – Caio Serpa 
ANA LÚCIA TORRE - Brígida 
CLAUDIA MELLO – Alzira 
ARLETE MONTENEGRO - Sra. Tamburini 
ROSANA PENNA – Elisa 
RONALDO OLIVA -  Túlio Mancini
SAMANTHA CARACANTE – Vera Celina 
CESAR PEZZUOLLI – Amâncio 
CARLA FIORONI – Enfermeira Isa 
PERSONAGENS DO UMBRAL - Guilherme Santana, Lucienne Cunha, Marco Antonelli e Débora Muniz, mais um grande elenco.
Site oficial
http://www.eavidacontinuaofilme.com.br/ 
Facebook
http://www.facebook.com/eavidacontinuaofilme
Twitter
http://www.twitter.com/eavcontinua


terça-feira, 21 de agosto de 2012

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Lançamento da Obra " A Cabana de Pai Inácio"

a_cabana_site

Olá pessoal!
Mais uma missão cumprida com muito amor e fé!
Espero que essa história traga bons e reflexivos momentos aos seus leitores!
Desde já agradeço a todos,
Annapon


Lançamento Julho/2012


Sinopse: Raras obras terão conseguido, como esta, oferecer um painel tão completo, nos dois lados da vida, do delicado complexo que é um centro umbandista dedicado à verdadeira caridade. Pai Inácio é o guia-chefe responsável pela criação e expansão de um terreiro, nos primórdios da umbanda, logo após o advento do Caboclo das Sete Encruzilhadas através de Zélio de Moraes. Ele e Mãe Joana, personagens já conhecidos do público após o sucesso da obra A História de Pai Inácio, são mentores dessa casa.
Na estruturação do templo, vão sendo introduzidas as diversas linhas da umbanda. São os pais e mães velhos, com sua sabedoria, os caboclos, as crianças, e finalmente, para grande espanto dos encarnados, os guardiões ou exus e as pombas-giras – estes, vistos com a desconfiança habitual dos que desconhecem sua verdadeira natureza. A cada um deles, as elucidações de Pai Inácio são claras e precisas, valendo por um manual de entendimento da atuação dessas falanges. 
Paralelamente, a narrativa vai desdobrando, no plano material, percalços e figuras típicos. A cura da vaidade mediúnica de um líder, a desonestidade de quem lucra com trabalhos espirituais junto com líderes das Trevas, o papel transformador de uma doença, a preparação de uma médium-chefe do terreiro, a sensitiva desarmonizada que foge do compromisso mediúnico, e muitos outros – um painel didático dos problemas típicos do universo mediúnico. Acrescentam-se casos de atendimento espiritual que tipificam obsessões e a respectiva explicação cármica.
Inestimável contribuição a trabalhadores e estudiosos da Espiritualidade, esta obra, de forma envolvente e agradável, é precioso compêndio prático sobre os bastidores do universo umbandista.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Desdobramento Astral, Auto-conhecimento e Profecia (Livro Gratuito)

Olá!
Compartilho esse vídeo que tem uma animação muito bacana sobre desdobramento astral!
Bom para refletir!
Annapon

terça-feira, 17 de julho de 2012

DE HOJE EM DIANTE-MOMENTO ESPIRITA

Olá amigos!
Mensagens como essa, nos fortalecem, concedem à nossa alma momentos de paz e reflexão!
Bons momentos a todos!
Annapon


quinta-feira, 12 de julho de 2012

A entidade Zé Pelintra na Umbanda

Olá!
Mais uma bela palestra de Gero Maita!
Annapon


A entidade Zé Pelintra na Umbada. Quem é esta entidade, em que corrente se manifesta e como é seu trabalho espiritual. Esclarecimentos baseados na doutrina repassada pelos mentores do C.E.U Esperança. Gero Maita - Dirigente e fundador da casa. Para conhecer mais, acesse: www.ceuesperanca.com.br.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

terça-feira, 3 de julho de 2012

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Exu - Nossas Encruzilhadas -

Olá pessoal!
Agradeço a todos por seguirem esse blog!
O vídeo que posto hoje é fruto do belo trabalho do pessoal do Norberto Peixoto e, se tenho postado mais conteúdo do trabalho dele, é porque o considero muito bom e esclarecedor, principalmente ao público trabalhador ou simpatizante da religião de Umbanda.
Quanto ao conteúdo do vídeo, tenho a comentar:
Somos muito pequenos para definir os atributos de Deus e dos Orixás. Sabemos pouco e apenas o que nos é permitido no momento.
Ser "filho" de um determinado Orixá, significa dizer que, energeticamente, somos compatíveis com Ele e, desenvolver essa virtude, do Orixá em nós, nos aproxima mais de sua energia. O resultado é o nosso equilíbrio, bem estar, melhor qualidade de vida.
Nossos Guias se aproximaram da essência energética dos Orixás que regem nossa encarnação, por isso estão aptos a nos conduzir pelos caminhos que nos atendam melhor nessa oportunidade existencial.
Exu, o grande "mistério", é a força atuante em nossa encarnação. É a nossa segurança, abrindo ou fechando os caminhos que escolhemos sempre com vistas ao nosso bem e progresso.
Exu é Lei e Ordem, ou seja, faz com que a Lei se cumpra promovendo a Ordem sob o comando vibratório de Ogum.
Espero que o vídeo seja mais um bom esclarecimento!
Recebam meu abraço,
Annapon


domingo, 17 de junho de 2012

A manifestação da corrente dos Erês na Umbanda

Olá amigos!
Compartilho mais esse bom vídeo produzido por Géro Maita que em poucas e simples palavras, tanto nos fala sobre a corrente dos Erês, crianças da Umbanda.
É sempre bom aprender. O beneficio é de todos!
Espero que apreciem!
Annapon

sábado, 9 de junho de 2012

Ramatís - Norberto Peixoto parte 2 ( Umbanda )

Olá pessoal!
Recomendo o vídeo abaixo a todos que amam a Umbanda e a todos que a querem conhecer um pouco melhor!
Norberto Peixoto, em breve tempo, nos dá muitos esclarecimentos!
Annapon

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Apologia à ignorância na Umbanda



Olá amigos!
Compartilho o texto abaixo sem comentar, pois o mesmo diz tudo o que penso!
Annapon




Apologia à ignorância na Umbanda









Não participo de mais nenhuma comunidade Umbandista ou Espírita nem no Orkut ou em outro local a não ser esta como também não tenho curiosidade de ficar visitando outras comunidades porém, volta meia , recebo via email trechos de várias comunidades, sites, blogs e similares acompanhados de comentários ora divertidos, ora desanimados, ora irritados, ora assombrados . A mudança de humores das pessoas amigas que enviam variam de acordo com o tema . Este que comentarei foram vários , em dias diferentes, de locais diferentes acompanhados de todas as variações , de divertidos à estupefatos .


Óbvio que não citarei as fontes dos trechos pois vou comentar sobre fatos; As origens e seus personagens são de importância insignificante e dar publicidade aos fatos não é o mesmo que dar notoriedade à locais e personagens que quanto menos aparecem , melhor. Também deixo claro que não fui citado (já que sou tão desconhecido para eles como eles são para mim) portanto comento de forma neutra e impessoal.


Corre “à larga” nestas muitas comunidades, sites e blogs uma campanha cujo cerne é a apologia à ignorância dos Umbandistas.
Auto proclamados PDS e MDS postam minimizando e até ridicularizando o estudo sério acerca do plano espiritual, da Umbanda, da mediunidade e todo e qualquer tema que seja ligado à área religiosa .

Iniciam sempre dizendo uma verdade incontestável que “Umbanda se aprende nos Templos e junto aos Guias” para em seguida criticarem quem estuda as obras da Codificação, as obras pós Codificação (Leon Denis, Flamarion, etc), as obras de Chico e de quebra sobra até para Ramatís, Robson Pinheiro, Sarraceni e Matta e Silva. (Não que eu ache que os últimos sejam a “fina flor do conhecimento válido” mas muitos que desejam estudar precisam começar de algum ponto. O tempo dá o discernimento).
Isto é chamado de sofisma : “argumento ou raciocínio concebido com o objetivo de produzir a ilusão da verdade, que, embora simule um acordo com as regras da lógica, apresenta, na realidade, uma estrutura interna inconsistente, incorreta e deliberadamente enganosa”


Seguem em tais criticas dizendo que quem estuda, quem busca explicações lógicas e coerentes nas manifestações e nos Templos na realidade nada conhecem da Umbanda, que possuem muita teoria que presta para o “Kardecismo” que é “frio”(???) mas não sabem nada de prática. Geralmente finalizam mostrando a importância dos PDS e MDS os quais tem as respostas corretas para qualquer dúvida dos ‘filhos” pois aprenderam diretamente com seus “Guias”.


Tudo isto temperado com as benditas frases:

1) A Espiritualidade tem muitos mistérios
2) Nada sabemos acerca da Espiritualidade
3) Ninguém é dono da verdade .


4) Quem escreveu livros é tão falho como qualquer um.(misturando aqui Kardec, Denis com Sarraceni e Mata e Silva)
5) Quem psicografa pode colocar muita coisa da cabeça.(misturando aqui Chico com Hercílio Maes e Robson)
6) Umbanda é totalmente diferente do “Kardecismo”( tirando o bendito Kardecismo, concordo plenamente)
7) A Espiritualidade da Umbanda é totalmente diferente do “Kardecismo”( aqui não salvou nada).


Além disto sobram adjetivações onde quem estuda acaba virando dono da verdade, presunçoso, prepotente ,etc.
Afirmam que quem busca a Umbanda não quer saber de aprender nada, apenas ter seus problemas resolvidos ( triste ver que uma magnífica escola virou uma repartição pública na visão destes que devem pensar que Jesus quando passou ela Terra só tratou de resolver problemas dos outros).

Por fim geralmente terminam dizendo: “ Estudo é bom sim maaaaasssssssssssss........”


É !!! Que ponto chega a esperteza e a tentativa desesperada para a manutenção do “status quo” de manter médiuns na ignorância para não perder o “brilho” do cargo, para não ter afetadas suas conveniências pessoais e financeiras.


Na realidade médiuns na ignorância vão sempre “comer nas mãos” destes espertalhões pois sem um mínimo de conhecimento necessário e desmotivados à terem interesse buscar respostas em literaturas sérias jamais irão comparar as respostas destes marmoteiros e de seus supostos guias aceitando-as como verdadeiras e únicas.


Marmoteiros são assim, posam de saberetas e quando a pergunta aperta dizem que a resposta é mironga, de poderosos pois possuem “guias” que fazem e desfazem até o que Deus dúvida, se vestem como noiva em dia de casamento com quilos de colares no pescoço para quem entrar no local saberem perfeitamente quem manda porém cobram humildade e abandono da vaidade, falam de moral e caridade porque o discurso fica bonito, dá ares de iluminação e evita perguntas incomodas .


Embasam sempre suas respostas em experiências pessoais sem qualquer meio de comprovação a não ser a palavra deles mesmo; E como não poderia faltar, a frase “respeito à todas as formas de culto porque se estão aí é por vontade de Deus” (e tome saci, caipora, gnomo, ET , pombagira arrepiada ,exu caveira do forno crematório incorporando. Boiadeiros descendo ao som de Chitãozinho e Xororó, guias atendendo celular, etc. As drogas também estão aí, os assassinatos, a corrupção, a prostituição infantil; Também é vontade de Deus e por achar assim devemos respeitar??)


Já diz o ditado: “Quem sabe as letras reza a missa mal ou bem; Quem da missa não sabe o terço só resta dizer amém”.


Considero uma atitude criminosa desestimular, diminuir a importância e mesmo ridicularizar o estudo, a busca racional do conhecimento espiritual.


Duvido que algum destes marmoteiros iriam aconselhar ou mesmo dizer que não tem a mínima importância estudar para seus filhos de sangue. Sem estudo aqui na Terra as consequências podem ser bem ruins materialmente falando. Agora estudo espiritual vai atrapalhar seus interesses. E os médiuns??? Nem se preocupam porque a maioria destas pessoas na realidade não acreditam nem nelas . Importante é o que podem conseguir de vantagens: trocar de carro, comprar uma casa .
Infelizmente a Umbanda virou meio de vida e/ou um meio de ser o centro das atenções para diminuir o complexo de inferioridade e a baixa estima para muitos.

Qualquer pessoa que queira se tornar um Umbandista de fato, honesto e comprometido com a Umbanda e a Espiritualidade tem a obrigação de estudar sim.


A coisa acaba funcionando mais ou menos assim:


- Estudando adquire bons argumentos(base sólida) e também surgem dúvidas.
- Vai junto aos Guias e expõe as dúvidas. Tendo bons argumentos a conversa flui e vai longe.
- Em casa pensa e repensa as respostas recebidas . Compara as respostas com o que está estudando.
- Analise se as respostas são lógicas. Observe se as respostas são coerentes com as obras literárias sérias e confiáveis, com as Leis Universais e Morais.


Isto é estudar, isto é pesquisar, isto é aplicar um mínimo de metodologia científica, isto é ser racional, isto é buscar evoluir.
Ahhhh, mas o importante é fazer a caridade!!! É importante sim e já estamos carecas de saber disso .Não existe uma única bendita alma que esteja na Umbanda ou fora dela que não saiba disto( salvo as mentes tacanhas em questões espirituais), portanto ficar batendo nesta tecla como desculpa para deixar os estudos em segundo plano é estar se fazendo de bobo e achar que esta fazendo de bobo os outros também. Na realidade mais se fala sobre caridade do que realmente à pratica.


Ahhhh, mas as pessoas querem é ter seus problemas resolvidos!!!! Verdade. Quem não quer?? Só que 90% dos problemas tem origem na ignorância espiritual que produz reflexos na vida material. Caridade está no ensinar à pescar ou seja esclarecer tais pessoas da real origem dos problemas e como evitar que ele retornem sem que necessariamente elas tenham que assumir o compromisso de frequentar o Templo .


Ahhhh, mas a prática é tudo!!!!! Mas a prática é de quem, do médium ou do Guia? Quem que vai aconselhar, quem vai resolver o que tenha e possa ser resolvido, o médium ou o Guia? A prática nossa é fora dos Templos dando bons exemplo,falando o mínimo de asneiras e aí sim, praticando a caridade da melhor forma que puder e não dentro do Templo onde quem pratica a caridade é o Guia e muitos sobem na caixinha de fósforos ,estufa o peito e diz: “Fui(ou vou) ao Templo prestar a caridade”.


Coitado do Guia! Rala décadas e décadas estudando, se preparando para poder incorporar e auxiliar quem pode (e merece) e justo seu médium sobe nas suas costas, se joga confetes e arrota “poder” sendo que na realidade não sabe nem o be-a-ba espiritual porque ou é um relapso, um aproveitador ou pessoa que (até de bom coração mas crente) resolveu seguir os conselhos de marmotas dando à eles o seu pescoço para estes colocarem a canga.


Nos Templos Umbandistas de fato, sérios e honestos, os Guias de A a Z , de Caboclos a Exus enaltecem o valor dos estudos , aconselham e induzem médiuns e consulentes ao hábito sadio da leitura edificante não impondo barreiras seletivas mas sempre com uso de lógica, coerência e discernimento.

Estão sempre solícitos à responder nossas perguntas e jamais se aborrecem por isso (mesmo que as perguntas girem em torno da infantilidade do tipo “sonhei com isso, o que é”)


Instruir é a maior missão dos verdadeiros Guias da Umbanda, resolver problemas é apenas uma das muitas consequências de sua missão. Enquanto nós temos uma visão da caridade que tende para o assistencialismo, a visão dos verdadeiros Guias da Umbanda tendem para a misericórdia, compaixão e solidariedade.


Falemos um sonoro NÃO a esta apologia à ignorância acerca da Espiritualidade.



Postado por Centro Espiritualista de Umbanda Esperança

domingo, 27 de maio de 2012

O Evangelho à Luz do Cosmo - palestra -

Olá amigos!
Compartilho mais um bom vídeo, fruto do excelente trabalho que a casa Triângulo da Fraternidade vem realizando em prol do conhecimento.
Apenas gostaria de comentar que quando nos sentimos magoados, irritados ou injustiçados por alguém, devemos sim falar com a pessoa que nos colocou em tal estado, porém, falar na hora certa, deixando o momento de raiva ou irritação passar para que a conversa necessária para a extinção do mal ocorra de forma tal que nos beneficie e não promova mais dissabor. Creio que isso seja necessário para que o rancor causado pelo não esclarecimento dos fatos, não se abrigue em nosso coração gerando assim ainda mais tristeza ou frustração.
Quanto ao núcleo familiar abrigar algozes do passado, concordo em partes, pois não apenas de algozes e vítimas estamos cercados, mas também de velhos amigos que voltaram para nos estender suas mãos, do contrário a convivência seria amarga demais, minando as forças necessárias que devemos ter para que o amor supere todo o mal que se fez ou que se sofreu.
Annapon





terça-feira, 22 de maio de 2012

Cangoma a Chamar - Umbanda - Magia Brasileira -


Olá pessoal!
Compartilho com alegria essa beleza de texto e de canção, retirado do site Teoria da Conspiração, de muito bom conteúdo, com voces, meus amigos, manos de fé e de caminhada!
Que nossa Mãe Umbanda nos abençoe, acolha e fortaleça para que juntos possamos levar ao mundo a bandeira alva de Oxalá com fé, esperança e amor!
Annapon

(atenção: este é um artigo musical, tenha ouvidos atentos)
Shhh… Escute, você ouve este som etéreo, distante? Perecem, parecem tambores… Tambores, e um lamento estranhamente alegre…
O último dia 13 de maio de 2012 foi um dia muito especial. Não pelo dia em si, mas pelo que simbolizou: a união da comemoração dofim legal da escravidão no Brasil, e a comemoração do dia das mães. Além de terem caído num mesmo dia, este dia foi um domingo, pois no Brasil se comemora o dia das mães sempre no segundo domingo de maio. Ora, em muitas casas de umbanda, ou casas espíritas e espiritualistas que são simpáticas a umbanda, se realiza uma festa no domingo mais próximo do dia que simboliza a libertação dos escravos no país – ou seja, além de neste ano a festa poder ter sido realizada no próprio domingo em si, ainda foi dia das mães.
Para compreender a importância disso, é preciso retornar alguns séculos no tempo e visualizar a barbárie que os povos europeus, ditos civilizados, realizaram na África. A escravidão não significava apenas o roubo dos adultos mais saudáveis e promissores de um reino ou grupo étnico africano, mas a separação de mães e filhos, e filhos e mães: a pura devastação daquilo que nos é tão sagrado, a família. Deste modo, podemos supor que não era tanto por saudades de sua terra que os escravos choravam, nem tanto por serem açoitados e tratados como animais selvagens, mas antes por terem deixado pais, mães, esposas e até mesmo filhos, em sua terra natal – para jamais os ver novamente, nem sequer receber cartas.
Pensemos nisso quando reclamamos de nossa dor de dente, do time de futebol que perdeu a final do campeonato, ou daquele concurso público em que não passamos, e deixamos de ganhar alguns milhares de reais a mais do que já ganhamos… Os que vieram da África, esses sim tiveram razão do que reclamar.
Mas, como foi… Como foi então que os negros puderam enxugar suas lágrimas, e amenizar sua dor? Como poderia ter sido, que não através do espírito? Pois eles não poderiam sequer escrever cartas que pudessem atravessar o oceano, mas sabiam que enquanto remavam ao Brasil, tinham a Senhora do Mar abaixo, e o Senhor dos Ventos acima – os orixás ainda estavam com eles, e a espiritualidade foi sua ponte entre o Brasil e a África, ponte esta que jaz firme até hoje.
Foi isto mesmo: nós os retiramos de sua terra, os açoitamos e dissemos que nos pertenciam, pois sequer tinham alma… E o com o que eles nos retribuíram? Axé, danças e tambores…
A festa que se realiza no 13 de maio é a festa dos pretos velhos. Pense nisso: hoje a ciência sabe que toda a humanidade migrou da África para o restante do globo, a África é a mãe dos homo sapiens, a nossa mãe. Se um genuíno preto velho é um dessesespíritos antigos, é bem capaz de fazer parte do grupo espiritual mais antigo da Terra – a despeito dos outros que migraram de outras casas. Kardec nos alertou que “os espíritos falam apenas do que sabem”, e ele tinha razão; Porém, alguns dos pretos velhos que aparecem para papear em tais festas podem saber muito, muito mesmo, pois são tão antigos quanto os primeiros xamãs, e tão sábios quanto os primeiros filósofos.
E há ainda aqueles espíritos que, cansados de toda a formalidade e prepotência que se encontra em outras doutrinas ditas civilizadas, resolvem aparecer como pretos velhos, de barba branca e encaracolada, olhos profundos como o mar, voz adocicada como a primavera, e arqueados pelos séculos em suas bengalas imaginárias. Sabe-se que o grandeBezerra de Meneses volta e meia aparece como um destes pretos velhos, quem sabe quantos sábios de outrora não preferem se utilizar deste mesmo símbolo, e permanecerem anônimos nas danças de tambor?
Lai ê, lai ê, lai á, disse levanta povo… Ouvem alguma coisa agora? Acho que está vindo lá do fundo…
Vissungos eram os cantos dos escravos utilizados nas lavras de diamante e ouro, ao redor da região de Diamantina, em Minas Gerais. Alguns de seus cantos atestam como o fim da escravidão no Brasil foi muito mais legal do que real, e como foi ser liberto em uma terra que não era a sua, que não era a Mãe África. Embora alguns dos legisladores brasileiros, e alguns dos artistas e pensadores da época, fossem genuinamente simpáticos aos ex-escravos, a maioria não era, e todos sabemos quantas gerações foram necessárias para que eles fossem aceitos como cidadãos, como seres que têm alma e, portanto, direitos.
Mas a alma de alguns deles era imensa, tão imensa que jamais foi embora, e sorrateiramente infiltrou-se em nossa cultura, nossa religião, nosso pensamento… Já disseram que os orixás eram demônios, mas como demônios poderiam compor canções tão belas quanto os cantos dos escravos de Minas, da Bahia, do Rio, doMaranhão?
Clementina de Jesus foi uma grande cantora tardia que, do alto de seus 60 e poucos anos, ainda assim teve o tempo e a vitalidade para nos deixar alguns clássicos da música popular brasileira. Clementina, como neta de uma escrava, cantava com propriedade.
Foi sua voz quem nos resgatou um dos mais belos vissungos de Minas, e que, por ser tão belo e profundo, nos serve como um verdadeiro mantra para a libertação… A libertação dos preconceitos, a libertação da ignorância, a libertação do ego, para que um dia, como os pretos velhos, possamos apenas dançar ao som do tambor, dacangoma [1], e nos esquecer, por um breve momento, de toda a dor do mundo…
Tava durumindo
Cangoma me chamou
Disse: levanta povo,
Cativeiro já acabou!
Agora sim, todos estamos a ouvir… Vamos então cantar, e fazer desse canto um hino de liberdade… Até que todo cativeiro fique para trás, e a nossa frente, apenas a Mãe África, e milhares de pretos velhos a nos saudar.
Áudio de Cangoma me chamou – Mawaca (em 2:00 ouve-se a voz de Clementina, uma gravação inserida na música).
» Veja também Mawaca cantando ao vivo este mantra (o áudio não está lá muito bom).
» Ouça Clementina de Jesus no original (esta versão é obviamente muito mais próxima do que se ouvia em Minas).
***
Sentido e escrito por raph, branco de pele, africano de dna, iluminado na alma por alguma luz que não sabe dizer a cor…
[1] Há um tambor grande chamado de cangoma ou angoma. Esse tambor avisa, no registro da canção, o fim da escravidão, como os sinos das igrejas que tocavam avisando e marcando os momentos importantes da vida da comunidade.
Crédito das imagens: Google Image Search

Rafael Arrais é autor da coluna Textos para Reflexão no TdC, mas de vez em quando aparece por aqui também…

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Seguidores