Olá

Bem vindo ao Coisas da Alma!

Despretensiosamente levando um pouco de espiritualidade ao mundo!

Conheça o http://aalmadascoisas-annapon.blogspot.com/, blog parceiro do Coisas da Alma.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Palavras de Ramatis

Mestre Ramatis sempre traz luz às questões de nossas vidas! Espero que apreciem o belo texto que posto por muito admirar e respeitar esse Mestre de Luz e de Amor! 

Annapon      

Nascimento – Infância – Juventude – Velhice – A Família - Sentido Educativo das Reencarnações – O Dever dos Pais

PRIMEIRA PARTE
1 - NASCIMENTO, INFÂNCIA, JUVENTUDE E VELHICE
O Espírito não nasce, não cresce, não envelhece e não morre. É centelha cósmica da Chama Criadora, que é Deus; portanto, não renasce nem é destruído. No nascimento, o espírito, realmente, encarna-se num novo corpo material.
O espirito reencarna, a fim de desenvolver a sua consciência, como entidade emancipada, subordinado às leis de Deus, dispondo de livre-arbítrio. Ele adquire seu autoconhecimento mediante as reflexões sobre seu mundo interior, que foi sensibilizado pelo mundo exterior.
Nascer, crescer, envelhecer e morrer são apenas etapas relativas ao tempo decorrido entre o berço e o túmulo, quando o espírito está encarnado. O espírito manifesta-se temporariamente através do corpo de carne, nervos e ossos, que é o seu instrumento de trabalho e para o enriquecimento da sua consciência no ambiente do nosso planeta.
Nas múltiplas existências físicas, ele aprende os conceitos do pecado e virtude, do bem e mal, da saúde e enfermidade, do certo e errado, do inferior e superior, do impuro e puro, que assim lhe permite melhorar e despertar os valores divinos existentes em si mesmo.
O período de infância física do homem é uma etapa transitória, em que o espírito se manifesta de forma reduzida a sua verdadeira capacidade. Ref. Pag. 17 (01)

2 - O ESPÍRITO ACORDA NA VIDA MATERIAL
Após o espírito submeter-se, no Além, ao processo de reduzir-se vibratoriamente, ou encolher o seu perispírito até atingir a forma fetal apropriada para caber no ventre perispiritual da futura mãe encarnada, ele ali permanece passando a incorporar e absorver as energias, que vão constituir o seu corpo carnal.
Assim, o seu nascimento (como é tradicionalmente entendido) em vez de o espírito nascer na Terra, ele acorda, pouco a pouco, tomando a sua configuração perispiritual “pré-encarnatória”, embora modificada pelos traços da nova forma biológica. A figura adulta do homem, manifestada no cenário do mundo físico, apenas revela o limite da configuração perispiritual, formada nas diversas vidas pregressas. Ref. Pag. 19 (01).

3 - COMO EDUCAR OS ESPÍRITOS REBELDES
Ramatis nos dá uma orientação de como educar as almas realmente daninhas e resistentes à evolução espiritual, que sob a Lei do Carma, reencarnam-se nos lares pobres:
“Em face da justiça da Lei do Carma (Lei de Causa e Efeito), os pais pobres que ainda são sobrecarregados com esses tipos de filhos, apenas colhem os frutos danosos das vidas passadas, quando provavelmente também não cuidaram devidamente com a educação de filhos que eram bons.
Embora pobres, podem dar bons exemplos morais a seus filhos, pois os pais que não cumprem seus deveres de pais, jamais podem exigir dos seus filhos uma conduta boa e construtiva”.
Acrescenta ainda: - o lar é o ambiente mais eficaz para a educação dos homens. O agrupamento doméstico é considerado no Espaço um curso preparatório para a vivência e compreensão da família universal! É uma espécie de seleção, onde se classificam aqueles que se mostram preparados a aplicar a outras pessoas os aprendizados superiores adquiridos e desenvolvidos junto a parentela humana!
O lar proporciona ao espírito encarnado as iniciativas do sentimento fraterno; incentiva-lhe a tolerância, paciência, humildade e a conformação, adestrando-o para depois enfrentar as adversidades do mundo! No mesmo lar, as almas que agrediram-se e tornaram-se inimigas em existências passadas, tem a oportunidade de reajustarem e tornaram-se amigas e fraternas. Ref. Pag. 28 (01)

4 - CASTIGOS FÍSICOS
Neste aspecto, Ramatis nos diz que os pais que castigam barbaramente os filhos e os submetem a surras para educá-los, são comparados aos homens das cavernas, de cara raspada e envergando ternos finos, trajes de “nylon” ou sedas e veludos! Por isso, alguns são incapazes de raciocínios e emoções de alto nível espiritual e praticam atos e decisões de temperamento colérico.
Em geral, os pais que surram impiedosamente os filhos não seguem a qualquer sistema educacional, pois se irritam e se descontrolam, quando desobedecidos e contrariados.
É de conhecimento geral que as criaturas ignorantes são covardes diante dos mais fortes ou superiores hierárquicos, mas são ditadoras, intolerantes e vingativas contra os seus inferiores mais fracos. Ref. Pag. 33 (01)

5 - CONSEQUÊNCIAS DO MIMO EXCESSIVO
Certo amigo de infância foi pai de dois filhos. A esposa, deslumbrada pelos filhos saudáveis e travessos, ria-se de qualquer tolice, malvadeza ou violência deles e jamais fez ou permitiu um gesto de repreensão. Os “queridos filhos” cuspiam nas faces das visitas, judiavam das aves e animais, apossavam-se dos brinquedos dos companheiros, socavam os rostos dos avós impotentes devido a reação contraditória da nora. Qualquer reclamação da vizinhança gerava ódios, discussões e inimizades da mãe inconformada. Hoje, os filhos cumprem penalidade de roubo de automóveis, vigarismos e falsificações de cheque. Ref. Pag. 23 (01).

6 - A RIQUEZA, A POBREZA E A GRADUAÇÃO MORAL
Não é a riqueza ou a pobreza o que, realmente, distingue a graduação moral do espírito.
A riqueza, comumente, deslubra as criaturas e facilita-lhes a prática dos mais censuráveis caprichos e sensuais desejos. A riqueza, quase sempre, proporciona mais facilidades perigosas para o espírito enfraquecido.
As almas mais esclarecidas, ao encarnarem, preferem a pobreza e os problemas do mundo material para solucionarem as suas provas cármicas e acelerarem o seu aperfeiçoamento espiritual. A renúncia, a paciência, a resignação e a humildade são virtudes que melhor florescem nos ambientes pobres e ajudam o espírito a libertar-se mais cedo dos ciclos dolorosos da encarnação.
Com o manto gasto da pobreza, cresceram as figuras sublimes e incomuns de Francisco de Assis, Paulo de Tarso, Vicente de Paulo, Buda, Ramana Maharschi, Gandhi e principalmente Jesus! Ref. Pag. 28 (01)
REFERÊNCIAS:
  1. A VIDA HUMANA E O ESPÍRITO IMORTAL – RAMATIS
  2. O LIVRO DOS ESPÍRITOS – ALLAN KARDEC
  3. APSA - Sr. Antônio Plínio - Presidente da S.E.R. – Rio de Janeiro

SEGUNDA PARTE
7 - IDÉIAS NATAS
O Espírito, quando encarnado, guarda vaga lembrança das percepções que teve e dos conhecimentos que adquiriu em existências anteriores.Essa vaga lembrança é o que se chama de idéias natas.
Os conhecimentos adquiridos em cada existência não mais se perdem. Liberto da matéria, o Espírito lembra de tudo o que viveu e aprendeu. Durante a encarnação, esquece-os em parte, porém, a intuição que deles conserva lhe auxilia o progresso. Em cada nova existência, o ponto de partida, para o Espírito, é o em que, na existência precedente, ele ficou. Perg. 218
A origem das faculdades extraordinárias dos indivíduos, tais como conhecimento da música, cálculos etc., sem nenhum estudo preparatório, são as lembrança do passado; progresso anterior da alma, mas de que ela não tem consciência quando encarnada. Perg. 219 - Ref. (02)

8 - REENCONTROS NA TERRA E NO ASTRAL
Os Espíritos, não tendo corpo, podem comprovar suas individualidades e distinguir-se dos outros seres espirituais pelo perispírito ( corpo astral), como faz o corpo entre os homens. Perg. 284
Assim, os Espíritos se reconhecem. O filho reconhece o pai, o amigo reconhece o seu amigo, de geração em geração. Perg. 285
Além do mais, os Espíritos podem ver a sua vida passada e lendo ela como um livro. Pode ver também a dos seus amigos e inimigos, sem que ninguém pode possa se esconder. Perg. 285 Ref. (02)
Obs.: Muitas criaturas despertam à primeira vista, uma grande simpatia ou antipatia, a consciência material não sabe mas, o coração e a mente espiritual sabem! ...

9 - EGOÍSMO, ORGULHO, CIÚME, ÓDIO, INVEJA
CAUSA DOS SOFRIMENTOS
O egoísmo é somente uma fase de consolidação da consciência do espírito lançado na corrente das vidas planetárias. Ele existe, só quando arrecada e acumula bens com grande apego, na ansiedade de ter alguma coisa.
Em relação aos sentimentos de ódio, ciúme ou inveja, Ramatis nos traz o seguinte esclarecimento - Através da várias doutrinas e correntes religiosas, o homem aprende que só existe um Deus, como a Causa original do Universo e do Amor Infinito Onipresente em todos os homens e em todas as coisas.
De uma forma mais direta vemos que o ódio, o ciúme ou a inveja, são estados de espírito do homem produzidos pela frustração do amor próprio, por não obter o “melhor” que deseja só para si e nada para os outros. Um dias despertam e serão anjos. Ref. Pag. 260 (01).

10 - O QUE O FILHO PENSA DO PAI
AOS SETE ANOS: 
Papai é um sábio, sabe de tudo.
AOS QUATORZE ANOS:
Parece que Papai se engana em certas coisas que me diz.
AOS VINTE ANOS:
Papai está um pouco atrasado em suas teorias; não são desta época.
AOS VINTE E CINCO ANOS:
O “Velho” não sabe nada. Está caducando, decididamente.
AOS TRINTA E CINCO ANOS:
Com a minha experiência, meu Pai nesta idade seria um milionário.
AOS QUARENTA E CINCO ANOS:
Não sei se consulto o “Velho” . Neste assunto, talvez me pudesse aconselhar.
AOS CINQÜENTA E CINCO ANOS:
Que pena ter morrido o “Velho”. A verdade é que tinha umas idéias e uma clarividência notáveis.
AOS SESSENTA ANOS:
Pobre Papai ... Era um sábio ... Como lastimo tê-lo compreendido tão tarde.

Ref. APSA(03)

11 - DOENÇAS DA ALMA, PERTURBAÇÕES E TRATAMENTO ESPIRITUAL
As atitudes impensadas, desregramentos, ignorância, ausência de religião e a busca louca dos prazeres, alegrias e riquezas sustentam as ilusões até cerca de 30 / 35 ou 40 anos.
Quando as conseqüências dos erros e das realidades aparecem, então vêm a desorientação, a revolta e a depressão aguda e não há remédio nem alternativas médicas que possam restabelecer a paz e a ordem interior: só e unicamente a psicoterapia do ensinamento da realidade espiritual.
As vítimas de si mesmas precisam despertar e pôr ordem na cabeça, sem o que acabam perturbadas, doentes e fracassadas. Muitos buscam consolo nos tóxicos, álcool e até no suicídio. Tudo inútil! A saúde mental e espiritual está abalada e as criaturas não sabem o que são, nem o que estão fazendo na vida terrena.
A Medicina, a Psiquiatria, a Psicanálise e as religiões terrenas nada têm a oferecer para a correção das causas que estão agitando os doentes, com as “Doenças da Alma”.
Somente o Espiritismo bem estudado dá às vítimas as respostas e a orientação para o equilíbrio interno.
A Sociedade Espírita Ramatis (S.E.R.) é especializada nesse despertamento espiritual: ensina, ampara e toca fundo nas causas perturbadoras. O processo é infalível, desde que o interessado faça a sua parte.
A Verdade é fonte de vida e saúde. Ref. APSA (03)
REFERÊNCIAS:
  1. A VIDA HUMANA E O ESPÍRITO IMORTAL – RAMATIS
  2. O LIVRO DOS ESPÍRITOS – ALLAN KARDEC
  3. APSA - Sr. Antônio Plínio - Presidente da S.E.R. – Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

Seguidores