Olá

Bem vindo ao Coisas da Alma!

Despretensiosamente levando um pouco de espiritualidade ao mundo!

Conheça o http://aalmadascoisas-annapon.blogspot.com/, blog parceiro do Coisas da Alma.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

MAMETTO-DEIXA A GIRA GIRAR



ESSE VÍDEO É COMPLEMENTO DO TEXTO ABAIXO. REPRESENTA AS  VIBRAÇÕES REGENTES DO ANO DE 2011 E É MUITO BONITO, ALEGRE, ...

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Mensagem de Ano Novo

Mensagem - Foto 


Aprendemos que, por pior que seja um problema ou situação, sempre existe uma saída.
Aprendemos que é bobagem fugir das dificuldades. Mais cedo ou mais tarde, será preciso tirar as pedras do caminho para conseguir avançar.
Aprendemos que perdemos tempo nos preocupando com fatos que muitas vezes só existem na nossa mente.
Aprendemos que é necessário um dia de chuva para darmos valor ao Sol, mas se ficarmos expostos muito tempo, o Sol queima.
Aprendemos que heróis não são aqueles que realizam obras notáveis, mas os que fizeram o que foi necessário e assumiram as conseqüências dos seus atos.
Aprendemos que, não importa em quantos pedaços nosso coraçãoestá partido, o mundo não pára para que nós o consertemos.
Aprendemos que, ao invés de ficar esperando alguém nos trazer flores, é melhor plantar um jardim.
Aprendemos que amar não significa transferir aos outros aresponsabilidade de nos fazer felizes. Cabe a nós a tarefa de apostar nos nossos talentos e realizar os nossos sonhos.
Aprendemos que o que faz diferença não é o que temos na vida, mas QUEM nós temos. E que boa família são os amigos que escolhemos.
Aprendemos que as pessoas mais queridas podem às vezes nos ferir. E talvez não nos amem tanto quanto nós gostaríamos, o que não significa que não amem muito, talvez seja o máximo que conseguem. Isso é o mais importante.
Aprendemos que toda mudança inicia um ciclo de construção, se você não esquecer de deixar a porta aberta.
Aprendemos que o tempo é precioso e não volta atrás. Por isso, não vale a pena resgatar o passado. O que vale a pena é construir ofuturo.
O nosso futuro ainda está por vir.
Então aprendemos que devemos descruzar os braços e vencer o medo de partir em busca dos nossos sonhos.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

História do Cartão de Natal




História do cartão de Natal


Conta-se que o primeiro cartão de boas festas teria surgido em 1834, na mesma época da publicação dos memoráveis contos natalinos de Charles Dickens.
No mundo todo, as pessoas se confraternizam enviando cartões com mensagens de paz, amor e esperança.  A época do Natal é ótima oportunidade de reafirmar o sentimento de amizade.
A história revela que, mesmo antes de Jesus Cristo, o espírito de fraternidade e solidariedade era encontrado na troca de mensagens de felicitações. Os romanos já cultivavam o hábito de enviar congratulações pelo Ano Novo, gravadas em tabletes de argila (tijolos). Com a cristianização do Império Romano, esse costume permaneceu.

A falta de tempo de Henry Coyle, diretor do British Museum de Londres, é que deu origem de fato aos cartões natalícios. Sem possibilidade de escrever à mão mensagem direcionada a cada um de seus familiares e amigos, Coyle solicitou ao artista plástico John Callicot Housley que elaborasse um cartão de boas festas para enviar a todos os seus entes queridos.
A ideia foi tão interessante que se propagou pelo mundo todo. Até hoje, as mensagens de final de ano traduzem o sentimento de fraternidade entre as pessoas.

Feliz Natal a todos!!!!!!!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010


oração ante a manjedoura é uma linda mensagem de nosso saudoso, porém, sempre presente, Chico Xavier através da psicografia.
View more presentations or Upload your own.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Porque é natal!

Porque é NatalPDFImprimirE-mail
Escrito por Raul Teixeira   
  
Senhor,

A Tua voz é o som perfeito que me embala o ser, e que me faz ouvir o murmúrio tranqüilizante dos astros.
O Teu olhar é como o brilho solar, que me aquece a alma fria, marcada pelo desalento e pela desesperança, nessa dura marcha para a elevação.

As Tuas mãos representam para mim o divino apoio, amparo que me impede de tombar, fragilizado como estou, nos rumos em que me vejo, ante a necessidade de subir.

As Tuas pegadas indicam-me as trilhas por onde devo me orientar nessa ausência de bússola moral com o entorpecimento da ética, quando desejo ir ao encontro de Deus.

As Tuas instruções, Jesus Nazareno, mapeiam para mim o território da paz, ensejando-me clareza para que saiba onde me encontro e como estou, para que não me perca nessa ingente procura dos campos de amor e das fontes de paz.

Os Teus silêncios falam-me bem alto a respeito de tudo o que devo aprender e operar nos recônditos de minh´alma, aprendendo tanto a falar quanto a calar, sempre atuando na construção do mundo rico de fraternidade que almejamos.

Agora, quando me ponho a meditar sobre tudo isso, meu Senhor, desejo exalçar o Teu nome, por toda a minha omissão dos milênios afora, embora a Tua paciente e dúlcida presença junto a mim.

Já é Natal na Terra, Jesus!

E porque é o Teu Natal, busco em Tua luz desfazer as minhas sombras; procuro em Tua assistência superar minhas variadas necessidades; quero no Teu exemplo de trabalho atender os meus deveres.

Porque é o Teu Natal, anseio por achar na Tua força a coragem de superar os meus limites; desejo ver na Tua entrega total a Deus o reforço para minha fidelidade ao bem e, na Tua auto-doação à vida, anelo tornar-me um servidor; no culto do dever que Te trouxe ao mundo, quero honrar o meu trabalho.

No Teu Natal, que esparge claros jorros de amor sobre o planeta, quero abrigar-Te no imo do meu coração convertido numa lapa bem simples, para que possas nascer em mim, crescer em mim e atuar por mim.

E, na magia do Natal, vibro para que minhas ações permitam que o Teu formoso Reino logo mais possa alojar-se aqui, no mundo, e que cheio de júbilo n´alma eu possa dizer que Te amo, que Te busco e que Te quero seguir, apesar da simplicidade dos meus gestos e do pouco que tenho para dar-Te, meu doce Amigo, meu Senhor.

Ivan de Albuquerque

Mensagem psicografada pelo médium Raul Teixeira, em 24.9.2007, na Sociedade Espírita Fraternidade, em Niterói-RJ.

Comentários
Busca

domingo, 19 de dezembro de 2010

Amanhã é Natal




Os dias se sucedem tão rápidos que nem nos damos conta... e amanhã já é Natal outra vez...
Foram tantas as lutas...
Você certamente teve problemas, trabalhou, sofreu, sorriu... como todo mundo.
Foram tantos os obstáculos... mas as forças foram ainda maiores, que permitiram superá-los.
Os desentendimentos familiares não foram poucos... mas a fraternidade logrou êxito.
Um filho querido talvez tenha adentrado pelos escuros caminhos das drogas, mas a coragem foi tanta que deu suporte nos momentos amargos.
O lar, tão tranquilo outrora, esteve ameaçado por terríveis tempestades... Quase sucumbiu... mas os laços fortes do amor o sustentaram...
A separação promovida pela morte dilacerou as fibras mais sutis da alma... mas a fé em Deus e a certeza da Imortalidade conseguiram cicatrizá-las.
A enfermidade cruel nos visitou ou visitou os entes queridos, mas a confiança e a dedicação conseguiram afastá-la.
Enfim, foram tantas dores, tantos momentos amargos... mas também tantas alegrias, tantas vitórias...
Amanhã é Natal...
E Natal é tempo de fraternidade, perdão, solidariedade...
E porque amanhã é Natal, reunamo-nos todos os que lutamos juntos, na alegria e na dor, e que apesar de tudo permanecemos unidos.
Olhemos para a mãezinha a quem chamamos o ano inteiro para pedir roupa limpa, comida, e digamos: Mãe, o que seria da minha vida sem você? Eu a amo, mãezinha querida.
Ao pai a quem só nos dirigimos para pedir dinheiro, carro emprestado, cartão de crédito, e falemos com carinho: Olá, paizão! Apesar de não ter o costume de dizer eu o amo, tenho certeza de que minha vida não teria sentido sem você.
Acerquemo-nos daquele irmão com quem não conversamos, olhemos nos seus olhos e falemos: Olá, mano! Que bom ter você no meu caminho!
Aproximemo-nos daquele filho drogado, infeliz, rebelde, e falemos com ternura: Filho, você é a estrela da minha estrada! Sem você a vida não teria sentido...
E, porque amanhã é Natal... busquemos a serviçal doméstica, que chega ao nosso lar muitas vezes antes do sol nascer e só vai embora depois que o último filho chega do colégio, para lavar a louça e deixar tudo em ordem, e digamos: Minha amiga, precisamos uns dos outros. Que bom poder contar com você por mais um ano!
E, porque amanhã é Natal... olhemos para nosso patrão e falemos o quanto ele tem sido importante em nossa vida, pois nos ajuda a ganhar o pão de cada dia.
E, porque amanhã é Natal... busquemos um lar pobre, onde a fome insiste em se fazer presente e a expulsemos, ainda que por um dia...
Levemos uma alimentação saborosa, temperada com o nosso mais puro afeto e permaneçamos por algum tempo junto aos habitantes, irmãos financeiramente mais carentes que nós.
*  *  *
E, porque amanhã é Natal... lembremo-nos do Aniversariante mais ilustre de que a Terra teve notícias...
Arrebentemos os laços de discórdia que porventura haja entre os familiares e amigos e abracemo-nos com ternura.
E, porque amanhã é Natal... mostremos ao Aniversariante que a Sua vinda à Terra não foi em vão...
Roguemos que nos perdoe por tê-Lo crucificado... E deixemos que Ele nos abrace e nos aconchegue junto ao Seu coração magnânimo...
Porque, amanhã, é Natal...
Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita, v.4 e
no livro Momento Espírita, v. 4,  ed. Fep.
Em 29.03.2010.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Divino Amigo, Vem!


Divino Amigo Vem é uma linda psicografia de nosso querido e saudoso amigo Chico Xavier!
Desfrutem dessas palavras de pura Luz!
Annapon





View more presentations or Upload your own.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

França X Ciganos













Enquanto houver intolerância, racismo, etc e tal, haverá carma a ser resgatado.
Annapon



França começa a expulsar ciganos

por PATRÍCIA VIEGAS19 Agosto 2010
França começa a expulsar ciganos

 Nicolas Sarkozy criticado por relacionar imigração e criminalidade no mesmo pacote de medidas.
Os primeiros ciganos romenos que viviam nos acampamentos ilegais que o Governo francês mandou desmantelar nas últimas semanas vão ser expulsos hoje, conforme anunciou o ministro do Interior, Brice Hortefeaux, apesar de uma chuva de críticas da esquerda, dos media, da ONU, da Comissão Europeia e das autoridades de Bucareste e de Sofia.
79 ciganos de origem romena vão partir no voo de hoje, 136 serão reconduzidos na sexta-feira e 160 no próximo dia 26, confirmou o secretário de Estado para a integração da minoria cigana da Roménia, Valentin Mocanu, ontem citado pela AFP. Paris indicou que pretende expulsar até final do mês 700 ciganos romenos e búlgaros que viviam de forma irregular nos 51 acampamentos desmantelados em território francês.
O número de ciganos em França está estimado em 15 mil, mas nem todos são legais. Apesar de membros da União Europeia, um espaço em que existe livre circulação, como ontem lembrou Bruxelas, romenos e búlgaros estão abrangidos por um acordo transitório que os impede de permanecer mais de três meses em território francês caso não tenham aí qualquer actividade. As regras para entrarem no mercado de trabalho são também rígidas. A França alega, por isso, que não está a cometer nenhuma ilegalidade.
"As medidas decididas pelas autoridades francesas estão em plena conformidade com as regras europeias e não constituem nenhum atentado à liberdade de circulação dos cidadãos da UE", disse, à AFP o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros francês, Bernard Valero, lembrando que o mais importante é a Comissão Europeia "apoiar os programas de reintegração" dos ciganos nos seus países de origem. E sublinhou a existência de uma directiva que permite a um Estado da UE "restringir a livre circulação por razões de ordem pública, de segurança ou de saúde pública".
Na origem do desmantelamento dos acampamentos e das expulsões "quase imediatas" estão os tumultos provocados pelos ciganos em Julho no centro de França, depois de um polícia ter matado um jovem cigano de 22 anos que não parou numa operação stop. Armados de machados e barras de ferro, os ciganos derrubaram árvores, semáforos, incendiaram carros, atacaram uma padaria e uma esquadra de polícia. Habitantes de alguns dos acampamentos mais antigos, como o de Hanul, que já teria uma década, estão a ser auxiliados por autarquias de esquerda, que classificam de "racismo de Estado" o plano securitário do Governo de Nicolas Sarkozy. O Presidente sugeriu mesmo retirar a nacionalidade francesa a pessoas de origem estrangeira que atentem contra as forças de segurança.
A ONU criticou a perigosa relação que está a ser feita em França entre imigração e criminalidade. "Esta política de humilhação dá uma visão degradante da acção pública. A França não é um país racista", escreveu o Le Monde. "Exprimo a minha inquietação em relação aos riscos de derrapagem populista e de reacções xenófobas num contexto de crise económica", declarou à rádio RFI Roménia o ministro dos Negócios Estrangeiros romeno, Teodor Baconschi.
Mas a verdade é que 79% dos franceses apoiam o desmantelamento dos acampamentos. E isso é o que importa a Sarkozy, candidato à reeleição em 2012. O ministro da Imigração francês, Eric Besson, tentou ontem pôr água na fervura, dizendo que este voo é normal e que este ano já é o 25.º. A França paga 300 euros aos adultos e 100 às crianças, como incentivo ao regresso. Muitos aceitam, mas depois tornam a voltar a França.

História do Natal

Aprender nunca é demais!
Annapon










Natal, uma tradição cristã influenciada pelos princípios de outras manifestações da Antiguidade.


Em diversas culturas espalhadas pelo mundo, a celebração da passagem do ano ou das estações é feita com o intuito de estabelecer a renovação do mundo e o revigoramento dos valores que agregam uma determinada civilização. Semelhantemente, o Natal também incorpora esse mesmo princípio de renovação ao celebrar o nascimento de uma das figuras centrais do cristianismo, Jesus Cristo. De fato, em diversas manifestações natalinas podemos também enxergar a reafirmação desse mesmo valor.

Dessa maneira, podemos observar que os princípios natalinos se configuraram em diferentes culturas ao longo do tempo. Os mesopotâmicos, por exemplo, celebravam nessa mesma época o Zagmuk. Segundo a tradição mesopotâmica, o fim do ano era marcado pelo despertar de monstros terríveis a serem combatidos por Marduk, sua principal divindade. Durante a festividade, um homem era escolhido para ser vestido e tratado como rei, para depois ser sacrificado levando todos os pecados do povo consigo.

Nas civilizações nórdicas, o Yule – marcado para o dia 21 de dezembro – marcava o retorno do sol. Para celebrar a mudança, grandes toras de madeiras eram amontoadas para a montagem de grandes fogueiras que tinham em suas labaredas a representação de novas colheitas e rebanhos a serem consumidos no ano seguinte. Marcando o início do inverno, a celebração reafirmava uma grande esperança nas novas conquistas a serem obtidas no novo ano que se iniciava.

Na Roma Antiga, a data de 25 de dezembro marcava o início das celebrações em homenagem ao nascimento do Deus Sol, conhecido como “Natalis Solis Invcti” (O Nascimento do Sol Invencível). Nessa mesma época, entre os dias 17 e 24 de dezembro, também ocorriam as festividades da Saturnália, celebração cercada de muita comida e bebida onde as normas do mundo formal eram subvertidas com o intuito de promover a renovação dos valores por meio de festas marcadas pela inversão dos padrões vigentes.

Com a oficialização do cristianismo no interior do Império Romano, várias destas datas foram incorporadas com o propósito de alargar o número de convertidos à nova religião do Estado. Nesse processo, o dia 25 de dezembro foi instituído como a data em que se comemorara o nascimento de Jesus Cristo. Na verdade, várias analogias entre as tradições pagãs e os valores cristãos oferecem uma grande proximidade entre os significados atribuídos a Cristo e s divindades anteriormente cultuadas.

Assim como Jesus Cristo, Mitra era reconhecida como uma grande divindade mediadora espiritual para os romanos. Da mesma forma, Jesus, considerado “O Messias”, teria a mesma função de conceder a salvação espiritual a todos aqueles que acreditassem em seus ensinamentos por meio da conversão. Com isso, a absorção dos princípios e referenciais religiosos da cultura romana influenciou na ordenação das festividades e divindades do Cristianismo.

Mesmo a Bíblia não especificando o nascimento de Cristo, as autoridades cristãs fizeram a escolha desta data, que foi mais tarde reconhecida pelo Papa Julius I (337 -352). Com o processo de expansão e regulamentação das tradições do cristianismo, o feriado natalino ganhou enorme força ao seguir o próprio processo de expansão da nascente religião. Dessa maneira, o Natal conseguiu se transformar em uma das principais datas a serem comemoradas pelos cristãos de todo o mundo.


Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Palavras de Ramatis

Mestre Ramatis sempre traz luz às questões de nossas vidas! Espero que apreciem o belo texto que posto por muito admirar e respeitar esse Mestre de Luz e de Amor! 

Annapon      

Nascimento – Infância – Juventude – Velhice – A Família - Sentido Educativo das Reencarnações – O Dever dos Pais

PRIMEIRA PARTE
1 - NASCIMENTO, INFÂNCIA, JUVENTUDE E VELHICE
O Espírito não nasce, não cresce, não envelhece e não morre. É centelha cósmica da Chama Criadora, que é Deus; portanto, não renasce nem é destruído. No nascimento, o espírito, realmente, encarna-se num novo corpo material.
O espirito reencarna, a fim de desenvolver a sua consciência, como entidade emancipada, subordinado às leis de Deus, dispondo de livre-arbítrio. Ele adquire seu autoconhecimento mediante as reflexões sobre seu mundo interior, que foi sensibilizado pelo mundo exterior.
Nascer, crescer, envelhecer e morrer são apenas etapas relativas ao tempo decorrido entre o berço e o túmulo, quando o espírito está encarnado. O espírito manifesta-se temporariamente através do corpo de carne, nervos e ossos, que é o seu instrumento de trabalho e para o enriquecimento da sua consciência no ambiente do nosso planeta.
Nas múltiplas existências físicas, ele aprende os conceitos do pecado e virtude, do bem e mal, da saúde e enfermidade, do certo e errado, do inferior e superior, do impuro e puro, que assim lhe permite melhorar e despertar os valores divinos existentes em si mesmo.
O período de infância física do homem é uma etapa transitória, em que o espírito se manifesta de forma reduzida a sua verdadeira capacidade. Ref. Pag. 17 (01)

2 - O ESPÍRITO ACORDA NA VIDA MATERIAL
Após o espírito submeter-se, no Além, ao processo de reduzir-se vibratoriamente, ou encolher o seu perispírito até atingir a forma fetal apropriada para caber no ventre perispiritual da futura mãe encarnada, ele ali permanece passando a incorporar e absorver as energias, que vão constituir o seu corpo carnal.
Assim, o seu nascimento (como é tradicionalmente entendido) em vez de o espírito nascer na Terra, ele acorda, pouco a pouco, tomando a sua configuração perispiritual “pré-encarnatória”, embora modificada pelos traços da nova forma biológica. A figura adulta do homem, manifestada no cenário do mundo físico, apenas revela o limite da configuração perispiritual, formada nas diversas vidas pregressas. Ref. Pag. 19 (01).

3 - COMO EDUCAR OS ESPÍRITOS REBELDES
Ramatis nos dá uma orientação de como educar as almas realmente daninhas e resistentes à evolução espiritual, que sob a Lei do Carma, reencarnam-se nos lares pobres:
“Em face da justiça da Lei do Carma (Lei de Causa e Efeito), os pais pobres que ainda são sobrecarregados com esses tipos de filhos, apenas colhem os frutos danosos das vidas passadas, quando provavelmente também não cuidaram devidamente com a educação de filhos que eram bons.
Embora pobres, podem dar bons exemplos morais a seus filhos, pois os pais que não cumprem seus deveres de pais, jamais podem exigir dos seus filhos uma conduta boa e construtiva”.
Acrescenta ainda: - o lar é o ambiente mais eficaz para a educação dos homens. O agrupamento doméstico é considerado no Espaço um curso preparatório para a vivência e compreensão da família universal! É uma espécie de seleção, onde se classificam aqueles que se mostram preparados a aplicar a outras pessoas os aprendizados superiores adquiridos e desenvolvidos junto a parentela humana!
O lar proporciona ao espírito encarnado as iniciativas do sentimento fraterno; incentiva-lhe a tolerância, paciência, humildade e a conformação, adestrando-o para depois enfrentar as adversidades do mundo! No mesmo lar, as almas que agrediram-se e tornaram-se inimigas em existências passadas, tem a oportunidade de reajustarem e tornaram-se amigas e fraternas. Ref. Pag. 28 (01)

4 - CASTIGOS FÍSICOS
Neste aspecto, Ramatis nos diz que os pais que castigam barbaramente os filhos e os submetem a surras para educá-los, são comparados aos homens das cavernas, de cara raspada e envergando ternos finos, trajes de “nylon” ou sedas e veludos! Por isso, alguns são incapazes de raciocínios e emoções de alto nível espiritual e praticam atos e decisões de temperamento colérico.
Em geral, os pais que surram impiedosamente os filhos não seguem a qualquer sistema educacional, pois se irritam e se descontrolam, quando desobedecidos e contrariados.
É de conhecimento geral que as criaturas ignorantes são covardes diante dos mais fortes ou superiores hierárquicos, mas são ditadoras, intolerantes e vingativas contra os seus inferiores mais fracos. Ref. Pag. 33 (01)

5 - CONSEQUÊNCIAS DO MIMO EXCESSIVO
Certo amigo de infância foi pai de dois filhos. A esposa, deslumbrada pelos filhos saudáveis e travessos, ria-se de qualquer tolice, malvadeza ou violência deles e jamais fez ou permitiu um gesto de repreensão. Os “queridos filhos” cuspiam nas faces das visitas, judiavam das aves e animais, apossavam-se dos brinquedos dos companheiros, socavam os rostos dos avós impotentes devido a reação contraditória da nora. Qualquer reclamação da vizinhança gerava ódios, discussões e inimizades da mãe inconformada. Hoje, os filhos cumprem penalidade de roubo de automóveis, vigarismos e falsificações de cheque. Ref. Pag. 23 (01).

6 - A RIQUEZA, A POBREZA E A GRADUAÇÃO MORAL
Não é a riqueza ou a pobreza o que, realmente, distingue a graduação moral do espírito.
A riqueza, comumente, deslubra as criaturas e facilita-lhes a prática dos mais censuráveis caprichos e sensuais desejos. A riqueza, quase sempre, proporciona mais facilidades perigosas para o espírito enfraquecido.
As almas mais esclarecidas, ao encarnarem, preferem a pobreza e os problemas do mundo material para solucionarem as suas provas cármicas e acelerarem o seu aperfeiçoamento espiritual. A renúncia, a paciência, a resignação e a humildade são virtudes que melhor florescem nos ambientes pobres e ajudam o espírito a libertar-se mais cedo dos ciclos dolorosos da encarnação.
Com o manto gasto da pobreza, cresceram as figuras sublimes e incomuns de Francisco de Assis, Paulo de Tarso, Vicente de Paulo, Buda, Ramana Maharschi, Gandhi e principalmente Jesus! Ref. Pag. 28 (01)
REFERÊNCIAS:
  1. A VIDA HUMANA E O ESPÍRITO IMORTAL – RAMATIS
  2. O LIVRO DOS ESPÍRITOS – ALLAN KARDEC
  3. APSA - Sr. Antônio Plínio - Presidente da S.E.R. – Rio de Janeiro

SEGUNDA PARTE
7 - IDÉIAS NATAS
O Espírito, quando encarnado, guarda vaga lembrança das percepções que teve e dos conhecimentos que adquiriu em existências anteriores.Essa vaga lembrança é o que se chama de idéias natas.
Os conhecimentos adquiridos em cada existência não mais se perdem. Liberto da matéria, o Espírito lembra de tudo o que viveu e aprendeu. Durante a encarnação, esquece-os em parte, porém, a intuição que deles conserva lhe auxilia o progresso. Em cada nova existência, o ponto de partida, para o Espírito, é o em que, na existência precedente, ele ficou. Perg. 218
A origem das faculdades extraordinárias dos indivíduos, tais como conhecimento da música, cálculos etc., sem nenhum estudo preparatório, são as lembrança do passado; progresso anterior da alma, mas de que ela não tem consciência quando encarnada. Perg. 219 - Ref. (02)

8 - REENCONTROS NA TERRA E NO ASTRAL
Os Espíritos, não tendo corpo, podem comprovar suas individualidades e distinguir-se dos outros seres espirituais pelo perispírito ( corpo astral), como faz o corpo entre os homens. Perg. 284
Assim, os Espíritos se reconhecem. O filho reconhece o pai, o amigo reconhece o seu amigo, de geração em geração. Perg. 285
Além do mais, os Espíritos podem ver a sua vida passada e lendo ela como um livro. Pode ver também a dos seus amigos e inimigos, sem que ninguém pode possa se esconder. Perg. 285 Ref. (02)
Obs.: Muitas criaturas despertam à primeira vista, uma grande simpatia ou antipatia, a consciência material não sabe mas, o coração e a mente espiritual sabem! ...

9 - EGOÍSMO, ORGULHO, CIÚME, ÓDIO, INVEJA
CAUSA DOS SOFRIMENTOS
O egoísmo é somente uma fase de consolidação da consciência do espírito lançado na corrente das vidas planetárias. Ele existe, só quando arrecada e acumula bens com grande apego, na ansiedade de ter alguma coisa.
Em relação aos sentimentos de ódio, ciúme ou inveja, Ramatis nos traz o seguinte esclarecimento - Através da várias doutrinas e correntes religiosas, o homem aprende que só existe um Deus, como a Causa original do Universo e do Amor Infinito Onipresente em todos os homens e em todas as coisas.
De uma forma mais direta vemos que o ódio, o ciúme ou a inveja, são estados de espírito do homem produzidos pela frustração do amor próprio, por não obter o “melhor” que deseja só para si e nada para os outros. Um dias despertam e serão anjos. Ref. Pag. 260 (01).

10 - O QUE O FILHO PENSA DO PAI
AOS SETE ANOS: 
Papai é um sábio, sabe de tudo.
AOS QUATORZE ANOS:
Parece que Papai se engana em certas coisas que me diz.
AOS VINTE ANOS:
Papai está um pouco atrasado em suas teorias; não são desta época.
AOS VINTE E CINCO ANOS:
O “Velho” não sabe nada. Está caducando, decididamente.
AOS TRINTA E CINCO ANOS:
Com a minha experiência, meu Pai nesta idade seria um milionário.
AOS QUARENTA E CINCO ANOS:
Não sei se consulto o “Velho” . Neste assunto, talvez me pudesse aconselhar.
AOS CINQÜENTA E CINCO ANOS:
Que pena ter morrido o “Velho”. A verdade é que tinha umas idéias e uma clarividência notáveis.
AOS SESSENTA ANOS:
Pobre Papai ... Era um sábio ... Como lastimo tê-lo compreendido tão tarde.

Ref. APSA(03)

11 - DOENÇAS DA ALMA, PERTURBAÇÕES E TRATAMENTO ESPIRITUAL
As atitudes impensadas, desregramentos, ignorância, ausência de religião e a busca louca dos prazeres, alegrias e riquezas sustentam as ilusões até cerca de 30 / 35 ou 40 anos.
Quando as conseqüências dos erros e das realidades aparecem, então vêm a desorientação, a revolta e a depressão aguda e não há remédio nem alternativas médicas que possam restabelecer a paz e a ordem interior: só e unicamente a psicoterapia do ensinamento da realidade espiritual.
As vítimas de si mesmas precisam despertar e pôr ordem na cabeça, sem o que acabam perturbadas, doentes e fracassadas. Muitos buscam consolo nos tóxicos, álcool e até no suicídio. Tudo inútil! A saúde mental e espiritual está abalada e as criaturas não sabem o que são, nem o que estão fazendo na vida terrena.
A Medicina, a Psiquiatria, a Psicanálise e as religiões terrenas nada têm a oferecer para a correção das causas que estão agitando os doentes, com as “Doenças da Alma”.
Somente o Espiritismo bem estudado dá às vítimas as respostas e a orientação para o equilíbrio interno.
A Sociedade Espírita Ramatis (S.E.R.) é especializada nesse despertamento espiritual: ensina, ampara e toca fundo nas causas perturbadoras. O processo é infalível, desde que o interessado faça a sua parte.
A Verdade é fonte de vida e saúde. Ref. APSA (03)
REFERÊNCIAS:
  1. A VIDA HUMANA E O ESPÍRITO IMORTAL – RAMATIS
  2. O LIVRO DOS ESPÍRITOS – ALLAN KARDEC
  3. APSA - Sr. Antônio Plínio - Presidente da S.E.R. – Rio de Janeiro.

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

Seguidores